Angola
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

EUA: Biden e McCarthy chegam a acordo sobre o teto da dívida. Agora resta convencer o Congresso.

O presidente Joe Biden e o presidente da Câmara, Kevin McCarthy, resolveram os elementos finais do acordo para aumentar o limite da dívida do país. Agora falta a votação do acordo no Congresso, que pode ocorrer nesta quarta-feira na Câmara.

Com alguns republicanos conservadores em ambas as câmaras sinalizando oposição inicial ao acordo, Biden instou os democratas do Congresso a aprovar o acordo e disse que McCarthy teria votos suficientes na Câmara para garantir a aprovação.

Biden também procurou acalmar as preocupações entre os democratas sobre algumas das disposições do acordo, como requisitos adicionais de trabalho para certos programas de rede de segurança do governo, e rejeitou as críticas de alguns legisladores democratas progressistas de que o acordo mataria de fome pessoas vulneráveis.

Reprimindo as preocupações de que Biden tenha cedido muito terreno aos republicanos, funcionários da Casa Branca enfatizaram que os republicanos da Câmara propuseram cortes mais profundos nos gastos domésticos e exigências mais amplas para programas governamentais. Eles apontaram que não houve mudanças no Medicaid, um dos principais alvos das reformas republicanas propostas.

No domingo, McCarthy começou a promover a medida para alertar os conservadores dentro de sua conferência republicana e para o público em geral.

Ele disse que o acordo inclui prioridades do Partido Republicano, como limites para certas categorias de gastos, recuperação de financiamento para novos agentes fiscais, requisitos adicionais de trabalho para alguns programas de rede de segurança do governo e regras rápidas para a aprovação de projetos de construção.

Se o projeto de lei for aprovado na Câmara na quarta-feira, ainda poderá estar atolado em atrasos no Senado. Pode levar uma semana ou mais para que a legislação seja aprovada no Senado, a menos que os senadores concordem por unanimidade em acelerar o processo.

Não está claro se algum senador se oporá a um processo acelerado, mas na semana passada o senador Mike Lee (R., Utah) alertou que estaria pronto para se opor ao consentimento unânime se o projeto de lei não atendesse às suas expectativas.

É bastante provável que o acordo seja aprovado pelo Congresso com o apoio dos moderados de ambos os partidos, deixando de fora republicanos conservadores e democratas progressistas. Biden e McCarthy têm pela frente uma tarefa difícil que poderá ter um impacto negativo nas suas carreiras políticas.