Angola
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

FMI forma quadros para migração da estatística das finanças públicas

Peritos do Fundo Monetário Internacional (FMI) estão em Angola, para a formação de quadros do Ministério das Finanças, do Banco Nacional de Angola (BNA) e do Instituto Nacional de Estatística (INE), no quadro da migração da estatística das finanças públicas para o padrão “Governance Finance Statistics-Manual GFSM 2014″.

A formação sobre “ Estatística das Finanças Públicas e Estatística da Dívida Pública” teve início, esta segunda-feira, e vai prolongar-se até ao dia 28 de Abril, na perspectiva de Angola alinhar as suas práticas estatísticas às normais internacionais.

De acordo com a secretária de Estado para o Orçamento e Investimento Público, Juciene de Sousa, a implementação do Manual do FMI “GFSM 2014” está aliado à publicação de dados na plataforma de disseminação de dados macroeconómicos, o que vai intensificar a provisão de informação macroeconómica das autoridades angolanas aos diferentes interesses.

Falando no acto de abertura do evento, Juciene de Sousa referiu que a migração da estatística das finanças públicas para o padrão GFSM2014 só será possível através de um sistema de produção estatística robusto, transparente e dinâmico, que permita o tratamento e publicação dos números.

Com a referida formação, de acordo com Juciene de Sousa, pretende-se melhorar a capacidade técnica em matéria de produção e disseminação das estatísticas das finanças e dívida pública.

A iniciativa inscreve-se no compromisso do Ministério das Finanças em melhorar a gestão das finanças públicas, da qualidade de dados macroeconómicos e da transparência fiscal.

Segundo a responsável, a adopção do Manual das Estatísticas das Finanças Públicas do FMI (GFSM 2014) constitui um importante instrumento para tomada de decisão de políticas fiscais, apontando vantagens como a ligações entre objectivos fiscais e os indicadores fiscais que facilita a avaliação dos riscos e benefícios das políticas fiscais adoptadas.

Neste sentido, disse que o FMI acolheu a solicitação de Angola que permitiu levar cabo varias missões de assistência técnica, em 2017, 2019 e 2022, em que foram registados desafios relacionados com o processo de migração para o GFSM2014.

“Além disso, a médio e longo prazo, a publicação de dados oportunos, de acordo com um calendário antecipado de lançamento, irá para além de incentivar o desenvolvimento estatístico, melhorar a transparência de dados e reduzir a assimetria de informação, o que constitui um factor importante para um favorável ambiente de negócios”, sublinhou a responsável.

FMI avalia dados para mudança