Angola
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Fórum Económico de Putin mostra o isolamento da Rússia

O fórum económico anual de Vladimir Putin começa amanhã, quarta-feira dia 14 de junho, em São Petersburgo. Antes da invasão da Ucrânia, o fórum era um ímã para políticos e investidores globais. Agora tornou-se uma medida do isolamento cada vez mais profundo da Rússia.

Os organizadores têm lutado para atrair grandes figuras políticas, de acordo com o programa para o evento deste ano, já que até mesmo alguns líderes dos ex-vizinhos soviéticos da Rússia optaram por ficar longe.

Com a ausência de líderes empresariais europeus e norte-americanos, o 26º Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo atrai principalmente funcionários de baixo escalão de países que permaneceram neutros em relação à guerra, inclusive do Oriente Médio, América Latina e Ásia. O evento de quatro dias oferece um retrato de como a Rússia está tentando reestruturar as suas relações económicas sob pressão de sanções sem precedentes impostas pelos EUA e seus aliados.

Putin se dirigirá à sessão plenária do fórum como de costume, disse seu porta-voz, Dmitry Peskov, a repórteres.

Onde o presidente francês Emmanuel Macron e a então chanceler alemã Angela Merkel já foram convidados de alto nível, o visitante europeu mais importante este ano é o ministro das Relações Exteriores da Hungria, Peter Szijjarto. Ele deve falar num painel sobre energia global com o ministro venezuelano do Petróleo, Pedro Tellechea.

Szijjarto “representará exatamente a mesma posição em São Petersburgo que teve em todos os outros lugares anteriormente”, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Hungria, Mate Paczolay. “Isso é que a guerra e a matança sem sentido de pessoas devem ser encerradas imediatamente e as negociações de paz devem começar.”

O presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva recusou o convite para participar no fórum. O presidente do Cazaquistão, Kassym-Jomart Tokayev, também não estará presente, segundo autoridades do país da Ásia Central.

Tokayev causou alvoroço no evento do ano passado quando discordou publicamente da invasão da Rússia enquanto estava sentado ao lado de Putin no palco do plenário.

O presidente da Republika Srpska, Milorad Dodik, que se encontrou com Putin no Kremlin no mês passado, não planeia comparecer, de acordo com seu gabinete.

O primeiro-ministro cubano, Manuel Marrero Cruz, participará de uma sessão sobre as relações Rússia-América Latina. O presidente da Argélia, Abdelmadjid Tebboune, participará no fórum, informou o Serviço de Imprensa da Argélia.

O embaixador da China em Moscou, Zhang Hanhui, e o líder da União dos Empresários Chineses na Rússia são os principais convidados de um painel sobre relações comerciais bilaterais. Um painel sobre as relações Rússia-Índia inclui apenas dois representantes de empresas indianas dos 12 palestrantes listados.

A maior presença internacional será do Oriente Médio, segundo o programa. O ministro da Economia dos Emirados Árabes Unidos, Abdulla Bin Touq Al Marri, lidera um grupo de autoridades dos Emirados Árabes Unidos listados como participantes de uma sessão sobre relações comerciais com a Rússia.