Angola
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Golpistas do Níger detêm ministros e chefe do partido do PR

O partido presidencial do Níger anunciou esta segunda-feira (31.07) que foram detidos quatro ministros, um antigo ministro e o chefe do partido de Mohamed Bazoum, o Presidente eleito e derrubado por um golpe de Estado na quarta-feira.

“Após o rapto do Presidente da República, Mohamed Bazoum, os golpistas voltam a atuar e aumentam o número de detenções abusivas”, denunciou o Partido da Democracia e do Socialismo do Níger (PNDS).

Na manhã desta segunda-feira, foram detidos o ministro do Petróleo, Mahamane Sani Mahamadou, filho do antigo presidente Mahamadou Issoufou, e o ministro das Minas, Ousseini Hadizatou.

Os golpistas também “prenderam o presidente do Comité Executivo Nacional do PNDS”, Fourmakoye Gado, acrescenta-se no comunicado.

“A isto seguem-se as detenções do ministro do Interior e da Descentralização, Hama Amadou Souley, do ministro dos Transportes, Oumarou Malam Alma, e do deputado e antigo ministro da Defesa, Kalla Moutari”, refere o partido.

O Presidente Mohamed Bazoum foi afastado na quarta-feira à noite por militares e detido no palácio presidencial, sob a supervisão da Guarda Presidencial, cujo líder, o general Omar Abdourahmane Tchiani, foi nomeado presidente do Conselho Nacional para a Salvaguarda da Pátria (CNSP), a junta militar que protagonizou o golpe.

Um “golpe de Estado gratuito”

O PNDS “exige” a “libertação imediata” dos ministros detidos e “injustamente sequestrados”, afirmando temer que o Níger esteja a caminhar para “um regime ditatorial e totalitário”.

Fontes próximas da Presidência referiram também a detenção do ministro da Educação Profissional, Kassoum Moctar.

As detenções ocorrem numa altura em que a junta emitiu um comunicado apelando a “todos os antigos ministros e diretores de instituições para que devolvam aos vários departamentos ministeriais e direções todos os veículos oficiais colocados à sua disposição”, o mais tardar até às 12h00 (11h00 GMT) de segunda-feira.

O primeiro-ministro do Níger, Ouhoumoudou Mahamadou, denunciou um “golpe de Estado gratuito” à France 24 no domingo e reiterou que o Níger contava “fortemente com a sua parceria internacional”.

O Presidente Bazoum está mantido como refém na sua residência por elementos da sua segurança, desde a manhã de quarta-feira. Falou por telefone com vários chefes de Estado e outras personalidades dos países parceiros do Níger, como a França e os Estados Unidos.

Por AFP/LUSA