Angola
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Os custos do serviço da dívida do Quênia absorvem 59% da receita fiscal

Os custos do serviço da dívida do Quênia representaram 59% da receita tributária do país no ano fiscal encerrado em junho, a maior proporção em mais de uma década.

Disse o Tesouro Nacional num relatório recente quando o governo do presidente William Ruto promete aumentar a arrecadação de receitas numa tentativa de aliviar o peso da dívida nacional.

Novas medidas, incluindo dobrar o imposto sobre valor agregado sobre produtos petrolíferos e desacelerar os aumentos dos salários públicos, ajudarão o governo a atingir o menor déficit fiscal em uma década nos 12 meses até junho de 2024, de acordo com o Tesouro. No próximo ano, planeia introduzir medidas fiscais adicionais para render 0,3% do produto interno bruto, de acordo com o relatório.

O Quênia encontra-se num um espaço fiscal precário sem grandes margens orçamentais para fazer face ao pagamento de salários da função publica e promover políticas sociais, nomeadamente no domínio da educação e da saúde, e económicas.

Na semana passada, o Morgan Stanley emitiu um aviso negativo sobre a dívida do Quénia enquanto dava uma nota positiva a Angola.

MORGAN STANLEY NEGATIVO SOBRE A DÍVIDA QUENIANA ENQUANTO ANGOLA RECEBE NOTA POSITIVA (clique aqui para mais informações).

O Fundo Monetário Internacional cortou este mês sua previsão de crescimento econômico para o Quênia este ano para 5%.

O Conselho Executivo do Fundo Monetário Internacional recentemente assinou quase US$ 1 bilhão em novos fundos para o Quênia, o que poderia aliviar a pressão sobre as finanças públicas na maior economia da África Oriental.

CONSELHO DO FMI APROVA US$ 1 BILHÃO EM FUNDOS PARA O QUÊNIA (clique aqui para mais informações).

Por Editor Económico
Portal de Angola