Angola
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Primeiro Ministro espanhol convoca eleição surpresa após derrota socialista

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sanchez, disse que dissolverá o Parlamento e convocará uma eleição antecipada para 23 de julho, depois que o seu partido Socialista sofreu pesadas perdas nas eleições regionais e locais no domingo. Anunciou a agência Bloomberg.

A decisão de Sánchez de antecipar uma eleição geral marcada para dezembro parece um estratagema para arrancar a iniciativa de seus oponentes conservadores depois de ver o seu apoio atingido pela inflação quase recorde de alimentos. O momento da votação aumentará a pressão sobre os parceiros de coligação de esquerda de Sánchez, que têm lutado para resolver uma disputa sobre se podem se unir sob uma única bandeira.

O Partido do Povo de Alberto Nunez Feijoo, acompanhado em alguns lugares pelo Vox de extrema-direita, deve controlar oito das 12 regiões que estavam em disputa na votação do fim de semana, incluindo Madrid e Valência. Historicamente, o partido que chega ao topo nas eleições locais tende a ganhar a votação nacional.

O PP conquistou no domingo 31,5% dos votos municipais em todo o país, enquanto os socialistas caíram para 28%. O Vox mais que dobrou seus votos para 7%. Feijoo prometeu ser mais favorável aos negócios do que Sanchez, que tem um relacionamento contencioso com a Espanha corporativa.

O resultado de domingo sugere que o PP começará como favorito para vencer a votação em julho, mas a complexa dinâmica de construção de coligações na Espanha significa que pode ser difícil para o PP formar uma maioria.

Ainda assim, o PP precisará contar com o apoio do grupo de extrema-direita Vox para governar em muitas regiões, e fazer esses acordos pode tornar quase impossível obter o apoio dos nacionalistas bascos e catalães que tradicionalmente ajudam a construir maiorias no parlamento nacional. O grupo nativista Vox emergiu como uma nova força política depois que nacionalistas catalães realizaram um referendo ilegal sobre a separação do resto da Espanha em 2017.

Falando nas escadas de sua residência oficial em Madrid, Sanchez disse que a Espanha precisa de “esclarecimento” dos eleitores sobre para onde o governo deve ser dirigido e quem deve liderá-lo. “É melhor que o povo espanhol dê sua opinião e decida sem demora sobre os rumos políticos do país”, afirmou.