Angola
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Situação de paz na RDC em análise

Os esforços conjuntos do Governo angolano e das Nações Unidas para promover a paz, estabilidade e segurança no Leste da República Democrática do Congo (RDC) estiveram em análise, esta segunda-feira, em Luanda, numa audiência que o Presidente da República, João Lourenço, concedeu ao sub-secretário-geral para as Operações de Paz desta organização, Jean-Pierre Lacroix.

Em declarações à imprensa, no final do encontro, o alto funcionário ao serviço da ONU afirmou que Angola, no âmbito da implementação do Roteiro de Luanda para a pacificação da RDC é um parceiro de grande importância.

“Falamos também da iniciativa de Angola desdobrar um contingente militar das Forças Armadas Angolanas (FAA) neste país, com o fim de supervisionar o acantonamento dos elementos do grupo armado M-23”, disse Jean-Pierre Lacroix, tendo considerado a iniciativa muito positiva.

A RDC é um país membro da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos (CIRGL) e vive actualmente um conflito armado motivado por divergências política que tem ceifado vítimas humanas e criado um número indeterminado de refugiados para países vizinhos.

Neste contexto, a mediação angolana do conflito no Leste da RDC, na qualidade de Presidente da CIRGL, resultou num acordo de cessar-fogo, desde 7 de Março último.

Deste modo, Angola tem previsto o envio de um contingente de 500 soldados das FAA para a RDC no apoio ao processo de manutenção da paz, que deverá permanecer nesse país durante 12 meses, integrado por um batalhão e respectivos componentes.

Neste contexto, disse que as Nações Unidas estão disponíveis em contribuir para que se criem as condições necessárias no sentido do desdobramento do contingente militar angolano.

Jean-Pierre Lacroix explicou ainda que o momento serviu também para abordar o projecto sobre o aumento da contribuição de Angola nas operações de manutenção de paz da ONU.

“É uma perspectiva que muito nos interessa. Temos o interesse que Angola possa contribuir com capacidade militar e estamos a discutir várias opções com as autoridades militares e diplomáticas do pais para este fim”, sublinhou.

Fundada em Outubro de 1945, a ONU é uma organização intergovernamental criada para promover e manter a paz e a segurança internacionais e desenvolver relações amistosas entre as Nações. AFL/SC/ADR