Brazil

CNA: PIB do agronegócio deve crescer 9% em 2020 e 3% em 2021

 (crédito: Randy Fath / Unsplash)

(crédito: Randy Fath / Unsplash)

O agronegócio brasileiro não parou de produzir durante a pandemia de covid-19 e ainda tem sido beneficiado pelo aumento da demanda, doméstica e internacional, por alimentos. Por isso, o Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio deve crescer 9% deste ano. A projeção é da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), que também espera altas em 2021, só que em um ritmo menor, de 3%.

Segundo a CNA, o agronegócio deve fechar este ano com um PIB de R$ 1,75 trilhão. O setor também projeta uma alta de 17,4% do Valor Bruto da Produção (VBP), a R$ 903 bilhões. E ressalta que, por isso, só não tem gerado mais empregos que a construção civil no Brasil: de janeiro a outubro, o agronegócio gerou 102,9 mil vagas formais no país.

"Estamos vivendo um momento anormal em todo o mundo. Mas a queda da economia brasileira foi menor do que estávamos esperando, principalmente por conta do setor agropecuário", comentou o presidente da CNA, João Martins. Ao apresentar as projeções da CNA nesta terça-feira (1º/12), ele lembrou que o mercado chegou a prever uma queda de 6,6% do PIB do Brasil neste ano no auge da pandemia, mas hoje projeta um baque de 4,5%.

O bom resultado do agronegócio em meio à pandemia de covid-19 é fruto de uma série de fatores. Entre eles, o reconhecimento de que esta é uma atividade essencial que não deveria parar na quarentena, o aumento da demanda por alimentos a nível nacional e internacional, e também o aumento do dólar, que favoreceu as exportações do agronegócio e elevou o lucro dos produtores.

"Tivemos o auxílio emergencial de R$ 322 bilhões, que é dez vezes mais que o Bolsa Família de R$ 33 bilhões por ano. Isso se reverteu em compras de alimentos, em itens básicos da cesta básica. E, com a pandemia, muitos países tiveram problemas de desabastecimento. Teve um forte incremento da demanda por conta das dificuldades de produção e dificuldades climáticas no mundo. E a desvalorização do câmbio, de 46,5%, de certa forma estimulou a exportação", explicou o superintendente técnico da CNA, Bruno Lucchi.

De acordo com a CNA, as exportações do agronegócio bateram o recorde de US$ 85,8 bilhões entre janeiro e outubro deste ano. Isso significa que, de cada US$ 10 exportados pelo país US$ 5 são de produtos do agronegócio, como soja, carne, milho e açúcar. Por isso, as exportações do setor devem fechar o ano com um aumento de 5,7% em valor e de 12,4%, em volume. E a China será a grande impulsionadora desse aumento, pois já importou US$ 30,8 bilhões do agronegócio brasileiro neste ano.

Preços

Além de favorecer as exportações, o dólar alto, contudo, aumentou os custos da produção e os preços dos alimentos no mercado doméstico. A CNA reconheceu o problema, mas acredita que esse movimento de alta vai perder força em 2021, apesar de admitir que muitos preços não devem voltar ao nível pré-pandemia.

"No ano que vem, os preços vão continuar de certa forma elevados. Mas não vai ter tanto aumento, a produção vai crescer e a intensidade dos fatores que elevaram o preço neste ano vai diminuir, o que reduz a pressão", afirmou Bruno Lucchi.

O superintendente técnico da CNA explicou que o setor espera uma estabilização do câmbio. Essa estabilização, por sua vez, deve ocorrer na casa dos R$ 5,20 ou R$ 5,30, um patamar ainda elevado em relação ao câmbio do pré-pandemia. "Tira um pouco a pressão de alta, mas mantém patamares elevados", reconheceu.

Preço dos alimentos

Por outro lado, a CNA acredita que os fatores que pressionaram o preço dos alimentos neste ano devem ceder em 2021, como o aumento da demanda doméstica causada pelo auxílio emergencial. Além disso, o setor espera um incremento da oferta de alimentos.

A projeção para 2021 é de mais uma safa recorde, apesar do receio dos efeitos climáticos que podem ocorrer com o La Niña, já que muitos produtores têm aproveitado os ganhos deste ano para investir e ampliar a produção. "Vai ter um equilíbrio. A inflação não vai ser tão alta como foi, pontualmente, no início da pandemia", concluiu Lucchi.

Para 2021, a CNA projeta um crescimento de 3% do PIB do agronegócio e um aumento de 4,2% do Valor Bruto da Produção Agropecuária, além da continuidade das exportações. Lucchi observou que, se comparados ao crescimento estimado para este ano, os números mostram um desempenho robusto do setor.

Football news:

Hertha's sporting director loves signing players. Just look at his smile!
Rooney confirmed as Derby County head coach
Barca's presidential election will not take place on January 24 due to anti-coronavirus restrictions
Zlatan on Covid: I tried to train at home, but immediately felt tired
Bayern are Interested in Militao as a replacement for Alaba. The Brazilian has 3 matches for Real Madrid this season
Fiorentina Interested in Odriosola. The defender of Real Madrid played 1 match in the season
Pavlyuchenko on Tottenham: At first, my English was zero. When I drank a beer, I had good English, Spanish, and Portuguese