Brazil

Conheça Frederick Wassef, o homem que inventou Jair Bolsonaro

"Eu previ o futuro". Frederick Wassef, que mantinha Queiroz escondido em sua casa, é muito mais do que advogado da família Bolsonaro. Ele mesmo explicou como foi o responsável por transformar o ex-deputado federal do baixo clero em presidente da República

Frederick Wassef

Frederick Wassef (imagem: reprodução, o antagonista)

por Thaís Oyama, do UOL

Frederick Wassef é mais que advogado dos Bolsonaro. O homem que mantinha o desaparecido Fabrício Queiroz escondido em sua casa diz ser o responsável pela transformação do ex-deputado federal do baixo clero em presidente da República.

“Eu não só fui o primeiro a acreditar no Bolsonaro, como fui o primeiro a colocar na cabeça dele a ideia de concorrer à Presidência”, diz.

O advogado conta que, em 2014, quando estava internado para tratamento de câncer em São Paulo, deparou-se com um discurso do então deputado Bolsonaro sobre a necessidade de uma lei para impor o controle de natalidade no Brasil.

A partir daí, diz ter se “apaixonado” pelo parlamentar, a quem procurou mais tarde e de quem se tornou amigo. Sua mulher à época, a empresária Cristina Boner, e a hoje primeira-dama, Michelle Bolsonaro, também se deram bem, e os Bolsonaro passaram a frequentar a casa de Wassef em Brasília.
Wassef diz que foi num dos desses encontros, ainda em 2014, que disse pela primeira vez ao ex-capitão que ele tinha de se lançar ao Planalto.

“Eu tinha acesso à Lava-Jato, sabia que iriam ser todos presos. Falei para ele: o senhor vai ficar sozinho e sem concorrência no mercado. Eu previ o futuro”.

Quando, em dezembro de 2018, o caso Queiroz estourou no noticiário, Wassef assumiu a estratégia de defesa de Flávio. Contrariando os advogados que aconselhavam a família naquele momento, ele convenceu o presidente eleito que o melhor a fazer para abafar a história seria tirar Queiroz e o Ministério Público Estadual do cenário e, por meio do foro privilegiado de Flávio, jogar o caso para o STF.

A estratégia quase deu certo: no dia 15 de julho de 2019, o presidente do STF, Dias Toffoli, atendendo a um pedido de Wassef, concedeu liminar que suspendia todas as investigações criminais que envolviam o uso de dados do Coaf — precisamente o caso de Flávio.

VEJA TAMBÉM: Queiroz reapareceu em áudio comprometedor para a família Bolsonaro

A decisão, ruidosamente comemorada pelos Bolsonaro e por Wassef, conseguiu travar a investigação até novembro daquele ano, quando o plenário do Supremo derrubou a liminar de Toffoli e o caso Queiroz foi retomado.

Como se viu hoje, Wassef, o homem que se jacta de ter “descoberto” Bolsonaro, continua sendo bem mais que o advogado da família.

Siga-nos no Instagram | Twitter | Facebook

Football news:

Coach of Orenburg Pro 0:1 with Rubin: Morally devastated, could have drawn
Kike Setien: Griezmann played a great match, understood Messi well, scored a great goal. We changed something
Barca President on the Real Madrid match: VAR always favours one team. I have an unpleasant feeling
Faty scored the 9,000 th goal in the history of Barcelona
Griezmann scored in La Liga for the first time since February with a pass from Messi
Suarez came out on the 3rd place in the list of the best Barca Goalscorers in history
Guardiola lost 3 away games in a row in the League for the first time in his career