Brazil

Covid-19: Não há tratamento precoce que comprovadamente funcione, diz médico

 (crédito: Ana Rayssa/CB/D.A Press)

(crédito: Ana Rayssa/CB/D.A Press)

Apesar de fazer sentido tratar a doença logo no começo a fim de controlar o desenvolvimento do vírus no corpo e o agravamento da infecção, o médico e professor de medicina na Universidade de Brasília (UnB) André Nicola ressaltou que não existe nenhum medicamento que comprovadamente funcione no tratamento precoce contra o novo coronavírus. De acordo com o especialista, a doença ocorre basicamente em duas fases: a primeira em que o vírus está crescendo, se multiplicando e causando dano; e a segunda em que o próprio corpo destrói órgãos como o pulmão, coração e rins devido a uma resposta intensa do sistema imune.

“Eu gostaria muito, como provavelmente qualquer profissional de saúde, que existissem drogas que funcionassem, mas infelizmente a gente ainda não tem nenhuma que comprovadamente funcione para tratar a doença na primeira etapa”, disse André sobre os “kits de tratamento precoce”, durante entrevista ao CB.Saúde — parceria entre o Correio e a TV Brasília — desta quinta-feira (21/1).

André ainda falou sobre os efeitos negativos que os medicamentos podem trazer para as pessoas que os utilizaram com o propósito de tratar ou evitar a contaminação da covid-19. “O uso indiscriminado dessas drogas pode gerar aumento da resistência a antimicrobianos porque tem antibióticos, além de gerar efeitos colaterais graves por causa das drogas”, alertou o médico. A recomendação do professor é que as pessoas procurem um profissional de saúde quando os sintomas surgirem, além de tomar os cuidados necessários para evitar a transmissão do vírus.

Tratamento com plasma

Em junho de 2020, iniciou-se no Distrito Federal o estudo para o tratamento de covid-19 com plasma de pacientes recuperados. Durante a entrevista, o médico e participante da pesquisa André Nicola explicou que nessa parte líquida do sangue há anticorpos produzidos pelo sistema imune e que a ideia da pesquisa é verificar a eficácia e a segurança da transferência do plasma de pessoas que tiveram a doença para quem está contaminado com o vírus.

“Existe essa possibilidade do plasma funcionar, mas a gente não sabe ainda. Nós começamos um ensaio clínico no DF com o registro de cerca de 400 voluntários para doação de sangue e recrutamos 34 pessoas para receber o plasma”, contou o médico. A iniciativa, que ainda não tem resultados definitivos, é promovida pela Fundação Hemocentro do DF, junto à Secretaria de Saúde e à Universidade de Brasília (UnB). Além disso, a pesquisa conta com uma colaboração mundial com mais nove estudos dos Estados Unidos, Europa e Índia.

Confira a entrevista 

Football news:

Sociedad coach on the draw with Real Madrid: If we had scored 2-0, everything would have been different. Fair result
Only Raul and Casillas were younger than Vinicius when they played their 100th match for Real Madrid
Zidane on the draw with Sociedad: We lost two points. We had obvious moments in the first half
Wolverhampton defender Kilman is ready to play for the Ukrainian national team. Earlier it was reported that he can choose Russia
Pochettino on the new remontade with Barca: In football, even the unthinkable is possible, but we are positive
Real Madrid snapped a 5-game winning streak with a draw with Sociedad
Neymar is likely to miss the Barcelona game. PSG don't want to take any chances