Brazil

Entidades argentinas do agronegócio criticam medidas para conter inflação


São Paulo, 16 – A Mesa de Enlace, grupo que reúne as principais entidades agrícolas da Argentina, divulgou comunicado em que critica as medidas do governo do país para conter alta de preços. Segundo a entidade, os instrumentos “já foram implementados no passado recente com resultados contraproducentes para a produção, a atividade e o emprego”.

De acordo com a Mesa de Enlace, a alta de preços não ocorre por causa da exportação de alimentos, e sim em decorrência do excesso de emissão monetária “em consequência de gastos públicos galopantes e de baixa qualidade, por sua vez produto de um Estado superdimensionado e ineficaz”.

Os representantes do setor rural afirmam que o necessário agora é “gerar expectativas positivas sobre a produção e o investimento”, e não causar burocracia com instrumentos “já fracassados”.

Entre as medidas anunciadas pelo governo argentino estão o aumento na restrição para exportações de carne bovina e novos acordos para venda de proteínas “a preços acessíveis”. O anúncio foi feito pouco depois da divulgação de dados que mostraram inflação de 4,8% no país em março na comparação com o mês anterior, maior marca do governo do presidente Alberto Fernández.

Para a Mesa de Enlace, “é alarmante que o governo siga trilhando caminhos errados, tomando medidas sem consultar e que só aprofundam a difícil situação pela qual passamos”. De acordo com o grupo, “essa situação é afetada pela pandemia e pelos problemas que surgem da política econômica errática do governo, como a inflação, a falta de financiamento e os altos custos de produção”.

Veja também

+ Receita de bolinho de costela com cachaça
+ Cientistas descobrem nova camada no interior da Terra
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade