Brazil

MPF cobra explicações do Ministério da Saúde sobre recuo em acordo da vacina chinesa

O Ministério Público Federal cobrou explicações do Ministério da Saúde sobre o recuo em relação ao acordo anunciado para a compra de 46 milhões de doses da CoronaVac

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

(Reuters) - O Ministério Público Federal (MPF) abriu apuração preliminar e cobrou explicações do Ministério da Saúde sobre o recuo em relação ao acordo anunciado na semana passada para a compra de 46 milhões de doses da CoronaVac para inclusão no Programa Nacional de Imunização, informou o MPF em São Paulo nesta segunda-feira.

Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro revogou a decisão do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que assinou um protocolo com o Instituto Butantan para a compra da vacina desenvolvida pela chinesa Sinovac em parceira com o Butantan.

O MPF abriu procedimento para acompanhar o planejamento de vacinação da população brasileira contra a Covid-19 e os imunizantes que serão utilizados, bem como os critérios e as motivações de escolha, informou a instituição, em uma iniciativa que é apoiada pelas procuradorias de São Paulo, Rio Grande do Sul e de Pernambuco.

“Foi expedido ofício para o Ministério da Saúde sobre quais medidas serão adotadas para implementação do acordo firmado com o Instituto Butantan, além de informações sobre a etapa de testes de cada um dos possíveis imunizantes”, disse o MPF.

O MPF também cobrou explicações sobre eventual “alteração do planejamento” em razão de declaração de Bolsonaro no Twitter afirmando que a vacina CoronaVac não seria comprada.

“Em caso positivo, qual o atual planejamento? Quais as justificativas técnicas para o novo direcionamento e quais os quantitativos de vacinas previstos?”, questionaram as procuradoras responsáveis pela apuração.

As procuradoras questionam também a decisão de considerar apenas a chamada vacina de Oxford no calendário do Ministério da Saúde, deixando de incluir as demais que estão em desenvolvimento em todo o mundo.

Procurado, o Ministério da Saúde não respondeu de imediato a um pedido de comentário sobre a ação do MPF.

O MPF pede informações também da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), do Butantan e da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo sobre o assunto.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Football news:

Due to Maradona's death, Boca juniors' playoff game in the Copa Libertadores was postponed for a week
Sterling's heel gave an assist to Foden in the Champions League match with Olympiacos
Messi on Maradona's death: he will stay with us because he is eternal
Jurgen Klopp: I Don't understand why you can let 2,000 people into the stadium for 60,000 spectators and the same 2,000 into the arena for 9,000
In honor of Maradona can rename the stadium of Napoli
The peak declined from knee surgery. He hopes to return in 4 months
The International Olympic Committee (IOC) and the Russian Olympic Committee (ROC) expressed their condolences over the passing of Argentine football player Diego Maradona