Brazil

"Novo Bolsa Família", Renda Cidadã deve ser apresentado segunda

 (crédito: Divulgação)

(crédito: Divulgação)

O programa Renda Cidadã, que substituirá o Bolsa Família e ocupará o vácuo deixado pelo auxílio emergencial, deve ser incluído na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Pacto Federativo e inserida, portanto, no texto constitucional. A intenção do líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), e do relator do texto, senador Márcio Bittar (MDB-AC), é apresentar o projeto nesta segunda-feira (28/9).

Barros tem feito uma série de reuniões para avançar em pautas de interesse do governo. No sábado (26/9), se encontrou com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para discutir a segunda parte da reforma tributária. Na manhã de domingo (27/9), o deputado e o líder do governo no Congresso, senador Eduardo Gomes (MDB-TO), trataram do Renda Cidadã com Bittar e com o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos.

No Twitter, Barros compartilhou foto e vídeo do encontro, que aconteceu na Liderança do governo na Câmara. “A reunião terminou agora às 13h e avançamos no texto que será apresentado ao presidente Bolsonaro e aos líderes da Câmara e do Senado para sugestões”, escreveu. Também na rede social, Bittar disse ter sido uma “excelente reunião” e comentou que o programa deve garantir renda para mais de 20 milhões de famílias.

O objetivo do Renda Cidadã é ir além do Bolsa Família e beneficiar mais pessoas, incluindo as que recebem o auxílio emergencial. O programa criado no governo Lula atende, hoje, 14 milhões de famílias. O custo é de R$ 32 bilhões por ano. A proposta do governo ainda não foi detalhada, mas uma das ideias é estabelecer um benefício de R$ 300, como o atual valor do auxílio emergencial. Nesse caso, o gasto a mais poderia atingir R$ 30 bilhões.

Há muitas dúvidas em relação ao novo programa social, mas a principal delas é de onde virá o dinheiro para financiá-lo. Uma das sugestões mencionadas foi a criação de um novo imposto, mesma contrapartida prevista para a desoneração da folha de salários das empresas. Gomes, entretanto, voltou a negar que haverá aumento de carga tributária. As dificuldades em achar espaço no orçamento dificultam o andamento da proposta desde o início das discussões.

A falta de previsão orçamentária emperrou, logo que a ideia surgiu, o programa que se chamaria Renda Brasil, primeira ideia do governo para substituir o Bolsa Família. Bolsonaro vetou a proposta em 15 de setembro, antes mesmo de ela ficar pronta, pela repercussão negativa de algumas das fontes de financiamento sugeridas, que incluíam congelamento de aposentadorias e pensões por dois anos. Mas, em seguida, o presidente deu autorização para Bittar avançar na criação de um programa social.

Tributária

O ministro da Economia, Paulo Guedes, pretende apresentar, também nesta segunda, a parte dois da reforma tributária ao presidente Bolsonaro e a líderes partidários. A ideia é desonerar a folha de pagamentos das empresas e, para compensar a perda na arrecadação, criar um novo tributo. Guedes se reuniu no sábado (26/9), no Ministério da Economia, com Barros, para acertar os detalhes da proposta.

A equipe econômica apresentará mais de uma alternativa, para que o presidente e as lideranças da base governista avaliem qual é a melhor opção. A meta é conseguir o aval de Bolsonaro para tocar o assunto e o parecer dos parlamentares sobre qual é a chance real de que a proposta avance no Congresso, já que a criação do imposto é uma medida bastante impopular.

Na última quarta-feira, o ministro reforçou que, para diminuir os encargos trabalhistas, é preciso “fazer um programa de substituição tributária”. O novo imposto, que compensaria a perda arrecadatória, deve incidir sobre todas as movimentações financeiras, nos moldes da extinta CPMF, ideia que conta com muita resistência no Congresso. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é um dos maiores opositores.

Football news:

Barcelona are concerned about the shape of the Target. The club believes that he did not work enough on vacation
Laporte was supported by van Dyck: Sorry, bro. No joy, even though we are rivals
Lautaro Martinez: Messi is the best in the world. He is always one step ahead of the rest
The Atletico stadium was painted pink as part of the campaign to fight breast cancer
Frank Lampard: nothing comes easy in the Champions League. This is a great platform to learn new things
Ronaldo was not included in the Juve bid for the match against Dynamo Kyiv
Bruno on the role of captain: I didn't expect it. Tomorrow it's not about me, it's about the team. Everyone should be a leader