Brazil

Padrinho político

Caso Maquiavel morasse no Brasil, certamente acrescentaria mais outro caminho para o príncipe chegar ao poder. Teria que acrescentar o apadrinhamento político.

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Relatos históricos apontam que o pensamento aristotélico prevaleceu com relação às formas de governo. Na opinião do pupilo de Platão existiam três formas: politéia, aristocracia e monarquia. Mas a partir de Maquiavel isso passou a ser visto por outro prisma. Para o secretário de Florença, ao longo da história “todos os Estados que existem e já existiram são e foram sempre repúblicas ou monarquias.” 

Ao tratar da conquista do príncipe aos novos principados ele aponta para quatro maneiras de conquistas. Entretanto, limitaremos a comentarmos apenas duas. A primeira delas, era a virtù, na qual se encontra inserida a capacidade pessoal do príncipe em saber alcançar seus objetivos. O outro caminho apontado por Maquiavel é a conquista do principado mediante a fortuna. Representada com o que popularmente chamamos de sorte. 

Para Maquiavel, as duas devem se fazer presentes no mesmo quinhão da trajetória do príncipe. Entretanto, Maquiavel entendia que os principados que são conquistados pelo caminho da virtù, conseguem uma maior durabilidade, dos que são conquistados mediante a fortuna, pois segundo ele, os mesmos possuem uma menor instabilidade, por isso tende uma menor duração.

 Caso Maquiavel morasse no Brasil, certamente acrescentaria mais outro caminho para o príncipe chegar ao poder. Teria que acrescentar o apadrinhamento político. Dependendo do peso do padrinho, ou da madrinha, o “afilhado” chega ao principado sem muito esforço. Até aqueles que não são dotados do que a teoria weberiana chama de carisma. 

Basta apenas seguir os passos percorridos ou sugeridos por aqueles que o orientam e o sucesso eleitoral estará praticamente garantido. Porém, um dos grandes problemas do apadrinhamento político é que geralmente o afilhado é picado pela mosca azul e aos poucos resolve se separar do padrinho, acreditando ser possível voar mais alto sem que tenha que pedir a benção para o feito. 

A partir daí, torna-se praticamente inevitável o rompimento, já que o afilhado passa ser visto como um traidor. Mas o Cardeal Richelieu já havia alertado que “traição em política é questão de tempo.” 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Football news:

Maradona's son said goodbye to his father: You will never die, because I will love you until my last breath
Jose Mourinho: Chelsea have an amazing squad. Can play Mendy or the most expensive goalkeeper in the history of the Premier League
Andrea Pirlo: Ronaldo is a bit tired after so many games. We agreed that he will rest
Maradona's manager: Diego didn't want to live anymore. He allowed himself to die
Eder Sarabia: I hope Barcelona will once again be the team that made us enjoy football like no other
Maradona is a major figure in the life of Director Paolo Sorrentino. He believes that Diego saved his life, and calls the Argentine his guide to the world of art
Barca presidential candidate farre: I want Messi to become the honorary President of the club. He will stay