logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo
star Bookmark: Tag Tag Tag Tag Tag
Brazil

Para tentar amenizar escândalo Alvim, Eduardo Bolsonaro ataca comunismo, mas não critica ex-secretário

Numa tentativa de amenizar escândalo que derrubou o secretário de Cultura do governo de seu pai, Eduardo Bolsonaro afirmou nume série de tweets que o "comunismo/socialismo" seriam piores que o nazismo. Ele nao criticou Roberto Alvim em momento algum

247 - Eduardo Bolsonaro tentou abafar minimamente o escândalo que levou à demissão de Roberto Alvim da Secretaria de Cultura do governo de seu pai com uma série de postagens nas redes sociais minimizando o papel nefasto do nazismo e afirmando que "muito mais assassino foi e é o comunismo/socialismo, que vive trocando de nome e se reinventando, porém segue matando por onde passa". Para Jair Bolsonaro, o vídeo de Alvim não passou de um "pronunciamento infeliz". 

Em todos os posts, Eduardo concentrou fogo sobre o socialismo e o comunismo.

Em nenhuma de suas diversas postagens ele fez crítica ao ex-secretário neonazista, demitdo nesta sexta-feira (17) depois de um vídeo no qual usou trechos de um texto do ideólogo nazista Joseph Goebbels sobre cultura.

Veja o post de Eduardo Bolsonaro da sexta-feira à noite:

E dois posts deste sábado:

Themes
ICO