Brazil

R$ 2,5 milhões: Dois suspeitos de fraudes em contas bancárias são presos na Bahia

Uma organização criminosa especializada na prática de furtos mediante fraude a contas bancárias foi alvo da Operação Poderoso Chefão, deflagrada pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) e pelo Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) nesta quinta-feira (17). Segundo a investigação, os suspeitos fizeram vítimas em diversas regiões do país, incluindo na Bahia. Os prejuízos de pessoas físicas e jurídicas ultrapassam R$ 2,5 milhões. As informações são do portal Metrópoles.

A Operação Poderoso Chefão, que recebeu esse nome devido a um dos estabelecimentos de fachada utilizado pela organização criminosa, resultou na prisão de 17 suspeitos, somente nesta quinta. Desse total, dois foram presos no estado da Bahia e um em São Paulo. Seis outros suspeitos continuam foragidos.

“Com as prisões do ano passado e de agora, entendemos que essa organização criminosa foi, efetivamente, atacada a ponto de cessar as atividade aqui no DF”, avalia Giancarlos Zuliani, responsável pela Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos (DRCC).

Foram expedidos 23 mandados de prisão preventiva, 36 de busca e apreensão em endereços no Distrito Federal, em Goiás, São Paulo e Bahia, além do sequestro de 22 veículos e bloqueio de ativos financeiros, que poderão totalizar R$ 10 milhões. Esses bens poderão garantir eventual ressarcimento às vítimas e pagamento de custas e multas processuais.

Ainda de acordo com o Metrópoles, a ação foi conduzida pela Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC) e contou com policiais da 15ª Delegacia de Polícia (Ceilândia), além dos promotores de Justiça do Núcleo de Combate ao Crime cibernético do MPDFT, NCyber.

A Polícia Civil de São Paulo prestou apoio em uma prisão que ocorreu perto da região de Campinas. O preso foi levado à delegacia de Mogi Guaçu.

A investigação é decorrente de pistas obtidas após a prisão de um dos líderes da organização criminosa, o ex-goleiro Paulo Henrique, 26 anos, que defendeu as equipes do Gama e Ceilândia. O mandado foi cumprido pela DRCC em agosto de 2019.

Provas colhidas à época apontaram para um extenso esquema de lavagem de capitais, envolvendo empresas de fachada, incluindo bancas na Feiras dos Importados, no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), uma empresa de materiais de construção e um hookah, comércio de narguilé.

Paulo Henrique seria responsável por recrutar diversos moradores do Distrito Federal, com o objetivo de emprestarem suas contas bancárias para receberem recursos subtraídos, via internet, de contas de empresas localizadas em São Paulo.

De acordo com a PCDF, o ex-goleiro contava com o apoio do ex-militar do Exército Ricardo Calony da Silva, 27, e Tiago Vinícius da Silva, 33. Segundo o delegado-chefe da DRCC, Giancarlos Zuliani, o grupo aplicava as fraudes por meio de um banco nacional. Os investigadores decidiram não revelar o nome da instituição para não atrapalhar as apurações.

"Após descobrir empresas que tinham contas nesse banco, os envolvidos hackeavam a conta e realizavam as transferências bancárias. “Através de mecanismos de capturar de senhas, eles conseguiam os dados dessas empresas e faziam as transferências para Brasília. O Paulo Henrique fazia o aliciamento aqui no DF”, disse o delegado.

Segundo Zuliani, a PCDF chegou aos envolvidos após analisar casos de seis empresas que foram vítimas do golpe desde dezembro de 2018 até agosto de 2019.

As vítimas e as empresas eram escolhidas aleatoriamente. “Eles pegavam o máximo de dinheiro que conseguissem de qualquer PJ que acreditasse no esquema.” Além de fraude, as acusações contra os suspeitos presos são de lavagem de dinheiro, formação de organização criminosa e porte ilegal de arma de fogo. Também foram encontrados R$ 35 mil em dinheiro com um dos envolvidos.

Football news:

Ronaldo re-tested positive for the coronavirus. He probably won't play against Barca (Correio da Manha)
Simeone's most crushing defeat at Atletico: lack of Parti, clever adaptation of the flick and grandiose Coman
Barca players are unhappy that some players have extended their contracts with reduced wages (Marca)
Capello on the debut of the Beginning: Fantastic goal. I spoke with Gasperini, he is happy
A Spanish journalist compared Fati to a black salesman running away from the police. Barcelona sues (despite the apology)
We play with major soccer bandits, and I get a yellow for it? Mueller - referee of the match with Atletico
Samuel eto'o: Guardiola is great. He didn't go out just for Messi