logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo
star Bookmark: Tag Tag Tag Tag Tag
Brazil

Turismo gastronômico, uma opção deliciosa de lazer

O Senac-MG lançou, em Barbacena, o roteiro Serras Alterosas da Mantiqueira, com visita a produtores de leite, queijos, doce e frutas. O roteiro faz parte do programa Primórdios da Cozinha Mineira

Em 2005, com o apoio do Sebrae, eu lancei o livro “Roteiros do Sabor Brasileiro – Turismo Gastronômico”. Naquela época, o turismo gastronômico apenas engatinhava no Brasil e o que funcionava mesmo, de forma organizada e profissional, era a enogastronomia da Serra Gaúcha. 

Além da Serra Gaúcha havia poucos roteiros, mas um deles ganhou destaque no livro, o Circuito das Frutas, que reunia vários municípios paulistas.

Também não havia publicações brasileiras sobre o tema. 

Dividi o país em 18 regiões, mostrando a diversidade de sabores que o turista poderia desfrutar. Dois anos depois, em 2007, lançaria o “Roteiros do Sabor do Estado do Rio de Janeiro – Turismo gastronômico”, pela editora Senac-Rio.

De lá par cá a coisa evoluiu muito, mas ainda não chegamos nem aos pés do que acontece em países como Itália, Espanha, Portugal e Estados Unidos.

Vários circuitos turístico-gastronômicos foram e estão sendo criados, bem como empresas que se dedicam exclusivamente ao assunto, como as cariocas Degusta Turismo e a Umami Tours, das minhas amigas Sonia Olival e Cecília Neves, respectivamente.

Hoje, como o Circuito das Frutas, há vários outros roteiros temáticos, como a Rota Cervejeira, que reúne produtores de cerveja de Petrópolis e Teresópolis, na Serra Fluminense.

Outra amiga, a pesquisadora Juliana Venturelli, criou o “Roteiro Gastronômico lenha no fogão: entre prosas e receitas”, que visita 11 municípios do Sul de Minas.

Há, também, vários roteiros gastronômicos urbanos, desvendando os sabores de bares e restaurantes nas cidades.

Leite, queijos, frutas e doces em Barbacena

Algumas instituições também estão inserindo o turismo gastronômico em seus programas e projetos, como é o caso do Senac-MG, cujo programa “Primórdios da Cozinha Mineira”, coordenado pela pesquisadora gastronômica Vani Pedrosa, lançou na semana passada o seu segundo roteiro: Serras Alterosas da Mantiqueira, no município de Barbacena. Dele, fazem parte cinco estabelecimentos: Laticínios Nosso (produção de queijo Reino), Chácara da Mantiqueira (pomar, com experiência de colheita), Fazenda Graminha (criação de ovelhas leiteiras), Fazenda Maracujá (doce de leite puro, criação de búfalas leiteiras) e Capril Rancho das Vertentes (criação de cabras leiteiras e produção de queijos).

“Com este roteiro, o Senac reconhece em Barbacena o que ela tem de mais valioso: sua história facilmente contada em forma de sabor, em parceria com os produtores locais’, diz Vani.

A execução deste roteiro foi a primeira etapa do projeto na região e contemplou os “produtores dos elementos com maior valor histórico”. Em um raio de menos de 40 quilômetros, foram avaliados: produção leiteira das quatro origens mais significativas do mundo (ovelhas, cabras, búfalas e vacas); doçaria mineira (“rapa do tacho de doce”, quando ao final do preparo toda família e até vizinhos se reuniam para experimentar o doce junto às bordas torradinhas do fim do preparo); produtos orgânicos.

Primórdios

Com o objetivo de resgatar e dar novos usos a hábitos, técnicas e produtos alimentares dos primeiros habitantes de Minas Gerais, o Senac-MG implantou, em 2015, a pesquisa Primórdios da Cozinha Mineira e a transformou em um programa educacional, com foco no desenvolvimento regional. “A iniciativa desvenda a cultura gastronômica do estado, gera renda e valor para o produto gastronômico local e seus produtores, promove o desenvolvimento econômico e o turismo regionais”. 

​O primeiro roteiro criado foi “Entre as Serras - da Piedade ao Caraça”, que abrange as cidades mineiras de Santa Bárbara, Caeté, Catas Altas e Barão de Cocais e tem como base o modelo alimentar local, preservado por mais de 240 anos no Santuário do Caraça.  

Entre os resultados do programa, o Senac-Mg destaca a recuperação do processo de fabricação do Queijo Minas Artesanal do Entre Serras e do Queijo Frei Rosário, curado em ambiente de caverna na Serra da Piedade; o resgate das curas especiais de queijo com base em vinagre balsâmico e óleos especiais; do Hidromel do Caraça e do açúcar purgado. Além disso, o programa identificou na região 65 espécies de verduras, legumes e temperos, 18 frutas originárias da Mata Atlântica, além de recuperar técnicas para aromatização de pratos com flores e frutos regionais. 

Themes
ICO