Portugal

“A Região tem apresentado um crescimento gradual e sucessivo na área da Ciência e Tecnologia”

O secretário regional de Educação, Ciência e Tecnologia, Jorge Carvalho, diz que o desenvolvimento da Região deve encontrar, no âmbito da Ciência e Tecnologia, uma alavanca capaz de optimizar as potencialidades instaladas com o objectivo de facilitar tanto a investigação como a modernização, num quadro de aproveitamento integral dos fundos nacionais e europeus disponíveis, em prol desse mesmo desenvolvimento regional

“Neste particular, o projecto FORWARD procura responder à política de desenvolvimento da estratégia regional de especialização inteligente de modo a contribuir fortemente para que a Região se constitua como um espaço de desenvolvimento técnico e científico de reputação internacional”, refere.

Realça que “todos os indicadores demonstram que a Região tem apresentado um crescimento gradual e sucessivo na área da Ciência e Tecnologia”. “Os números de recursos humanos (354 em 2014 para 540 em 2018) e financeiros (15 milhões em 2014 para 19 milhões em 2018) têm revelado uma trajectória ascendente, os resultados de investigação científica (161 publicações em 2014 para 367 em 2018) e inovação empresarial ( 335 marcas registadas em 2014 para 415 em 2018) também cresceram, a evolução da despesa em ID, em percentagem do PIB colocava a Madeira à frente do Algarve e dos Açores”, acrescenta.

Revela que “”para que este percurso positivo continue, o Governo Regional, através da secretaria regional de Educação, Ciência e Tecnologia, estabeleceu como um dos pilares estratégicos deste mandato o reforço da Investigação, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação”. “Esta política de investimentos irá fomentar, por um lado, o estímulo à promoção do investimento das empresas em inovação e investigação e, por outro, o desenvolvimento de ligações e sinergias entre empresas, centros de ID e o sector do ensino superior”, sustenta.

Para dar continuidade e tirar partido da experiência acumulada nos últimos anos, garantindo que a RAM se mantém competitiva num espaço geográfico particularmente atractivo para investimentos internacionais, refere que “será determinante e fulcral preparar da melhor forma a Região para estas oportunidades de financiamento e os novos quadros europeus à investigação e Inovação”.