Portugal

‘Apagão’ retira críticos de livro sobre os 100 anos do PCP

Algumas das personalidades que fizeram parte da história dos comunistas portugueses estão ausentes do livro “100 Anos de Luta”, lançado para comemorar o centenário do PCP. Júlio Fogaça, que antecedeu Álvaro Cunhal na liderança e que foi afastado por ser homossexual, é um dos omitidos, tal como o histórico Pavel (Francisco Paula Oliveira) que substituiu o primeiro líder comunista Bento Gonçalves. Francisco Martins Rodrigues, militante que participou na célebre fuga da prisão de Peniche e que viria a fundar a UDP.

PCP. O partido que, aos 100 anos, não quer passar à História

Política

Carlos Costa, que foi um dos resistentes antifascistas com maior número de anos de prisão (15 no total), só é referido numa breve passagem do livro e enquanto "dirigente do MUD Juvenil". Costa, que foi membro do comité central durante décadas e responsável pela Comissão de Controlo da comissão política do PCP foi afastado da direção partidária em 2012, depois de liderar um grupo de ortodoxos que criticaram, no interior do partido, o alegado 'revisionismo' e os desvios 'sociais-democratas' que consideravam estar a marcar o percurso partidário.

Entre os excluídos de um papel relevante na história do comunismo português estão todos os que pertenceram à ala dos chamados ‘renovadores’, como Domingos Lopes, Barros de Moura ou Edgar Correia. Alguns destes dirigentes, que chegaram a assumir lugares de destaque na direção foram expulsos do PCP em 2002, como é o caso de Carlos de Brito, que chegou a liderar a bancada parlamentar e foi um dos elementos de ligação com os capitães que organizaram o 25 de abril.

Zita Seabra, que liderou a UEC e foi alto quadro do partido ainda na clandestinidade, também não é referida. A militante comunista foi banida do partido e acusada de 'desvios burgueses' e, mais tarde, aderiu ao PSD aceitando mesmo concorrer como cabeça de lista dos sociais democratas à Câmara de Vila Franca de Xira, nas eleições autárquicas de 1997.

Outro dos ausentes do livro sobre a história do PCP é Manuel Carvalho da Silva, militante comunista e líder, durante 25 anos, da CGTP. A ausência é tanto mais notória quanto o livro inclui um capítulo sobre o papel do movimento sindical, onde não surge nunca nem o nome, nem um fotografia de Carvalho da Silva. O mesmo acontece como Miguel Portas ou João Semedo (dirigentes do PCP e fundadores do Bloco de Esquerda), assim como com João Amaral e Luís Sá que, recorde-se, morreu de enfarte, em 1999, quando era apontado como um possível sucessor de Cunhal na liderança comunista.

Football news:

Gary Neville: Will Arsenal enter the Super League? He has just drawn with Fulham
Remove the points from the entire big six. Neville about the top clubs in the Premier League in the European Super League
Immobile scored his 150th goal in Serie A
Gasperini pro 1-0 with Juve: Atalanta managed to find the balance in a difficult game. We had more chances
The striker of the GDR national team argued with the German minister and won a case of whiskey. But it ruined his career
Premier League about the European Super League: Fans can now dream that their club will rise to the top and play with the best. Super League will destroy this dream
Juventus lost to Atalanta in Serie A for the first time since 2001