Portugal

Conselho de Ministros aprovou novo acordo sede entre Portugal e a CPLP

O Conselho de Ministros aprovou esta quinta-feira o novo acordo-sede entre Portugal e a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que permite àquela organização vários benefícios, nomeadamente em termos ficais, anunciou hoje o Governo.

De acordo com o comunicado do Conselho de Ministros de hoje, "foram aprovadas quatro propostas de resolução e três decretos relativos à aprovação" de vários "acordos internacionais", entre os quais o já assinado "entre a República Portuguesa e a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa que revê o acordo referente ao estabelecimento da sede da comunidade em Portugal".

O acordo segue agora para a Assembleia da República, explicou à Lusa fonte oficial da CPLP, para aprovação, mas não necessita de ser submetido à conferência de chefes de Estado e de Governo da organização.

O Conselho de Ministros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa já tinha aprovado, a 09 de dezembro, um novo acordo-sede com Portugal, que permite à organização várias poupanças, nomeadamente em impostos e taxas.

Na sequência desta aprovação em Conselho de Ministros daquela organização, Portugal e a CPLP assinaram a 18 de dezembro o novo acordo sede, que revoga o assinado há 25 anos entre as duas partes, e que dá à comunidade direitos iguais aos de outras organizações internacionais que instalaram a sua sede no país posteriormente.

Segundo uma nota da CPLP, na altura, o acordo foi assinado em Lisboa pelo ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Augusto Santos Silva, e o secretário-executivo da CPLP, Francisco Ribeiro Telles.

"Um acordo mais justo para a CPLP", que passa a ter direitos e deveres iguais aos de outras organizações internacionais também com sede em Portugal, considerou o secretário-executivo, Francisco Ribeiro Telles, em declarações à Lusa nas vésperas do Conselho de Ministros da CPLP, referindo que aquele acordo, não tem, porém, efeitos retroativos.

"A CPLP vai fazer 25 anos, é uma organização que está sediada em Lisboa, talvez das mais antigas. Posteriormente, já outras se instalaram em Portugal e estabeleceram com o Estado hospedeiro um acordo que prevê uma série de disposições", não aplicadas à CPLP, explicou.

"Portanto, o que se trata neste novo acordo sede é de atualizar aquilo que foi assinado há 25 anos entre o Estado [onde fica a sede da organização] e a CPLP, de forma a que esta possa vir a ter os mesmos direitos e os mesmos deveres que as outras organizações internacionais sedeadas em Lisboa", afirmou.

Alguns dos direitos que a CPLP passa a ter é o de isenção de taxas e impostos.

"Fica isenta de impostos diretos e indiretos e de taxas alfandegárias", o que representa poupanças significativas, reconheceu Ribeiro Telles, que indicou, no entanto, que o valor das mesmas ainda não está calculado.

Ainda na altura o diplomata recordou que, quando assumiu o cargo, uma das coisas que lhe foi transmitida, quer pela sua antecessora, a são-tomense Maria do Carmo Silveira, quer pelo anterior secretário-executivo, o moçambicano Murade Murargy, foi que se poderia fazer alguma coisa em relação à negociação de um novo acordo sede com Portugal, um assunto no qual tinham batalhado durante os seus mandatos, mas sem sucesso.

A ideia passada a Ribeiro Telles pelos seus antecessores era que talvez com um secretário-executivo português houvesse "melhores condições para avançar" e "avançou", explicou o diplomata.

A CPLP integra nove Estados-membros - Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Football news:

Scotland coach Clarke: There were a lot of good moments during the group stage, but no points scored
England are the most boring group winners in history. Two goals were enough! And at the World Cup, the Italians once became the first even with one
Dalic - to the fans after reaching the Euro playoffs: You are our strength, and we will be your pride
Modric became the youngest and oldest goalscorer in Croatia at the Euro
Czech Republic coach Shilgava: We came out of the group and fought with England for the first place. We got what we wanted
Gareth Southgate: England wanted to win the group and continue to play at Wembley-and it succeeded
Luka Modric: When Croatia plays like this, we are dangerous for everyone