Portugal

Contos de E.E.Cummings chegam a Portugal, com tradução de Hélia Correia

Trata-se de um projeto já antigo, que a editora Ponto de Fuga alimentava há mais de um ano e que agora, finalmente, chegou às livrarias, com as palavras "ternas e mágicas" da escritora Hélia Correia e com o "traço sensível" da ilustradora Rachel Caiano, segundo o editor, Vladimiro Nunes, que descreve este como "um livro infantil maravilhoso".

Nunca antes editados em português, estes 'Contos de Encantar' constituem a única incursão conhecida de E.E. Cummings na literatura para a infância, e só foram publicados originalmente três anos após a morte do poeta, portanto, há mais de 50 anos.

Nesta primeira edição portuguesa, Hélia Correia, que também assina o prefácio, descreve estas histórias como "textos jubilosos sobre o amor, o nascimento e o desfazer da solidão".

"Sendo Cummings quem é, há a tendência para ler mais do que lá está escrito e cada um fará como quiser. A alegria da linguagem, as tentativas e os avanços rituais, próprios da literatura de encantar, são, porém, um valor absoluto que dispensa outras interpretações", diz a escritora.

E "sendo Cummings quem é", como escreve Hélia Correia, pode referir-se à pessoa e ao escritor, ambos os aspetos igualmente relevantes para contar a história destas quatro histórias.

Os textos aqui vertidos já têm na origem "uma história de vida encantadora, com um mistério e um final feliz", sobre um Cummings que "não foi bom pai" e teve uma filha -- Nancy - que andou até à idade adulta a julgar que era filha de outra pessoa: Scofield Thayer, o primeiro marido da mãe, que era simultaneamente amigo, editor e financiador do poeta.

Quando estava já casada, Nancy tornou-se amiga de Cummings sem alimentar sombra de suspeita de que se tratava do seu verdadeiro pai.

Numa tarde em que estavam juntos e sozinhos, e em que ele se entretinha a pintar-lhe o retrato -- pois também desenhava - "houve a revelação desse segredo" e imediatamente se reconheceram como pai e filha, tendo ocorrido uma "mudança no ambiente" que a própria mãe notou quando se lhes juntou, conta Hélia Correia.

Os contos aqui apresentados, publicados três anos após a morte do poeta, terão sido escritos para Nancy quando ela era ainda uma criança, e Cummings ter-lhos-á entregado depois para que ela os desse a conhecer aos filhos.

Quanto ao Cummings escritor, impõe uma tradução que exige tudo aquilo que Hélia Correia confessa não ter: conhecimento, disciplina e método.

"Mas nestes contos pode entrar-se de outro modo, levando à letra o jogo e acreditando na delícia das tartes de mosquito", considera a escritora, aludindo a um conto intitulado "A casa que comeu tarte de mosquito", sobre uma casa que ficava isolada no cimo de um monte e que, certo dia, se apaixonou por um pássaro.

Hélia Correia garante que procurou ser o mais literal que conseguiu, mesmo em aspetos de especial importância na escrita do poeta norte-americano, como a pontuação, os espaços e o estilo gráfico.

Contudo, há sempre alguns aspetos "intransponíveis", como sucedeu com o conto "A menina chamada Eu", em que o autor joga com o facto de, em inglês, os verbos no pretérito perfeito serem iguais na primeira (eu) ou na terceira pessoa (ela), o que não se passa em português, salvo raras exceções, como o verbo "disse", um dos poucos que se presta ao trocadilho com que o autor brincou: "Eu disse" ou "ela, chamada Eu, disse".

O mais difícil de tudo, para a tradutora, foi encontrar um equivalente para a personagem da primeira história - 'O velho que perguntava 'porquê'' - que é uma criatura masculina do universo das Fadas.

O problema é que escasseia este tipo de vocábulos: nas culturas do sul só existem "anões e, ainda assim, de importação", ou, graças à influência mitológica, 'Elfos" e "Duendes', mas que por serem "seres muito pequenos que habitam sobre a terra e só esvoaçam a pequena altura", não servem a personagem deste conto.

Hélia Correia optou então por 'Silfo', que não vem do mesmo mundo e é um termo atribuído a Paracelso, médico e alquimista suíço-alemão do século XVI, mas que cumpre "três características indispensáveis ao protagonista: vive nos ares, tem muita idade, embora nunca chegue a envelhecer, e é habitualmente muito amável".

O outro conto é sobre o nascimento da amizade entre um elefante que "não fazia coisa alguma o dia todo", e uma borboleta que vivia numa casa, no final de um "caminho caracoleante", que também dava para a casa do elefante.

Com capa dura e 88 páginas, o livro 'Contos de Encantar' é todo ilustrado, com recurso apenas aos tons de preto, branco, azul e vermelho, por Rachel Caiano, por duas vezes premiada em obras anteriores.

Poeta, ensaísta, romancista e dramaturgo, Edward Estlin Cummings, nascido no Massachusetts, Estados Unidos, celebrizou-se como uma das vozes mais marcantes e inventivas da poesia americana do século XX, tendo sido também pintor.

Até à data da sua morte - morreu aos 67 anos -, escreveu perto de três milhares de poemas, dois livros em prosa de caráter autobiográfico, peças de teatro e diversos ensaios.

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Football news:

Lampard after 0:3 with Sheffield: Chelsea must fight for the top 4. I've learned a lot
Simone Inzaghi: Scudetto for Lazio-a place in the Champions League. Talk of winning Serie A was exaggerated
Player the Premier League has admitted that he is gay anonymously. The letter was sent to the newspaper by the Foundation named after a football player who committed suicide after coming out
Messi has given 20 assists in La Liga. This is the best result of the tournament in 11 years
Chelsea lost by at least 3 goals in the Premier League for the first time in 11 months
Messi scored 20+20 points for the season in the League and repeated the achievement of Henri. In the XXI century, only they did it
Legia won the Polish championship for the 4th time in five years. It repeated the League record for titles (14)