Portugal

Especialista defende que Guiné-Bissau pode lucrar com turismo de observação de aves

Actualidade

Especialista defende que Guiné-Bissau pode lucrar com turismo de observação de aves

A coordenadora do departamento da biodiversidade do Instituto da Biodiversidade e Áreas Protegidas (IBAP), Aissa de Barros, disse hoje à Lusa que a Guiné-Bissau "podia ganhar muito dinheiro" se investisse no turismo de observação de aves.

De acordo com a especialista, todos os anos, entre outubro e abril, milhares de aves migram para a Guiné-Bissau, à procura de alimentos, voando de países como Portugal, Espanha, Reino Unido, Finlândia, Rússia ou do Ártico.

A responsável ambiental deu estas indicações à Lusa ao proceder a um primeiro balanço da contagem das aves aquáticas migradoras e residentes, encerrada na Guiné-Bissau, no fim de semana, mas cujos resultados só serão conhecidos depois de uma análise na Europa.