Portugal

Fundos e subsídios para cinema português devem ir além de Lisboa

Actualidade

Fundos e subsídios para cinema português devem ir além de Lisboa

O realizador José Magro, que participa na secção de talentos do Festival Internacional de Cinema de Berlim, Berlinale, defende que os incentivos ao cinema também devem chegar "às pessoas que não vivem nas grandes urbes."

Em declarações à agência Lusa, o jovem realizador do Porto, de 28 anos, um dos três portugueses a participar no "Berlinale Talents 2020" assume que há uma "grande discrepância no país".

"Existe Lisboa, para onde vai, de uma maneira ou de outra, a maior parte dos fundos e subsídios (...) Não há muitas produtoras nem pessoas do cinema no Porto, infelizmente acho que migraram todas para Lisboa. Penso que também está na altura de que o Porto tenha uma palavra a dizer no cinema. Falo do Porto e do resto do país, tem de haver um incentivo para essas pessoas que não vivem nas grandes urbes", considerou José Magro.