Portugal

"Apoios extraordinários" abrangeram mais de dois milhões de pessoas

A resposta a um momento excecional da vida social obrigou à criação de "apoios extraordinários fora do tradicional" para a "proteção do emprego, dos rendimentos das famílias e das pessoas mais vulneráveis" e a "uma mobilização de recursos públicos completamente atípica", considerou a ministra do trabalho no âmbito da sessão 'online' de apresentação do relatório "Portugal, Balanço Social 2020", da Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa (NOVA SBE).

"Com estes apoios extraordinários foram abrangidos dois milhões e 700 pessoas, isto significa quase 50% do tradicional dos beneficiários da segurança social anualmente. De repente, tiveram de se criar apoios excecionais para pessoas que não eram tradicionalmente os beneficiários da segurança social e isto foi um problema acrescido", disse Ana Mendes Godinho.

De acordo com a ministra, os apoios extraordinários implicaram "2.890 milhões de euros mobilizados a fundo perdido" e a aplicação no terreno foi e tem sido "exigente" com a preocupação de tentar manter postos de trabalho num "esforço coletivo" entre o Estado, as empresas e os trabalhadores; responder ao desemprego e ter mecanismos alternativos de apoio ao rendimento das famílias e pessoas mais vulneráveis.

O relatório "Portugal, Balanço Social 2020 - Um retrato do país e dos efeitos da pandemia", apresentado hoje publicamente, aponta que "o trabalho foi das esferas da vida mais afetadas pela pandemia e os mais vulneráveis, com menos rendimentos, com menos escolaridade ou em situações laborais mais precárias foram os mais afetados".

A análise, elaborada pela economista e professora da instituição, Susana Peralta, em coautoria com Bruno P. Carvalho e Mariana Esteves, concluiu ainda que "os mais pobres são os que perderam mais rendimento disponível".

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Football news:

Pochettino on reaching the semi-finals: It's all down to the PSG players. I missed the adrenaline
Manuel Neuer: Bayern should have played better in Munich. We missed a lot of chances
Hans-Dieter Flick: Bayern lacked the final touch in attack. Congratulations to PSG
PSG President: We have invested a lot in the club to win the Champions League. Neymar and Mbappe have no reason to leave
Tuchel about 0:1 with Porto: Maybe not the best game to watch. Chelsea deserved to win after 180 minutes
Neymar on reaching the 1/2 Champions League: We knocked out the winner of the tournament. Now PSG should always strive to reach the semi-finals
Porto fouled Pulisic 11 times. Over the past 5 seasons, the Champions League has not broken the rules on anyone more often