Ghislaine Maxwell, amiga de longa data de Jeffrey Epstein, foi detida esta quinta-feira de manhã, de acordo com a CNN que cita uma fonte próxima do processo. A detenção de Maxwell está relacionada com a investigação que visa o milionário acusado de violar menores e de tráfico sexual. Esptein suicidou-se na prisão em agosto de 2019 — a socialite inglesa estava desaparecida desde então.

Ainda segundo o meio norte-americano, Maxwell está sob custódia da polícia e deverá comparecer em tribunal ainda esta quinta-feira. Amiga próxima de Epstein, Ghislaine Maxwell, que diz estar inocente, está sob investigação das autoridades: o seu nome está associado à rede de tráfico sexual do milionário e é por isso uma peça-chave no processo.

Quem é Ghislaine Maxwell, a mulher acusada de ajudar Jeffrey Epstein?

De acordo com alguns relatos de testemunhas, Maxwell seria uma das responsáveis por recrutar as jovens que eram depois abusadas. Virginia Roberts (agora Virginia Roberts Giuffre), uma das alegadas vítimas, afirmou em entrevista ao Miami Herald em novembro de 2018 que foi Ghislaine Maxwell quem a recrutou e lhe deu formação na área sexual. Esta tem sido uma das vozes mais ouvidas no processo do empresário que se suicidou no ano passado — Roberts contou ainda que recebeu de Ghislaine aulas para utilizar “brinquedos sexuais” e “dar prazer a um homem através de sexo oral”.

Jeffrey Epstein. O monstro que precisou de amigos famosos (e de muito dinheiro)

Jeffrey Esptein suicidou-se em agosto de 2019 na prisão, onde estava detido há mais de um mês. O milionário norte-americano era suspeito de controlar um esquema de tráfico sexual e aguardava julgamento por abuso e tráfico de menores. Na altura em que foi detido, a polícia encontrou diversas fotos de raparigas nuas na sua mansão em Nova Iorque. Se tivesse sido condenado, poderia atingir até 45 anos de pena de prisão.