Portugal
This article was added by the user Anna. TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Único deputado português em Macau diz que combate ao desemprego é prioridade no novo mandato

O único deputado português no parlamento de Macau tomou este sábado posse e prometeu dar prioridade às propostas que combatam "o aumento desenfreado do desemprego", disse à agência Lusa.

José Pereira Coutinho adiantou que a apresentação de propostas que promovam o apoio às pequenas e médias empresas, idosos, famílias monoparentais e deficientes serão outras das áreas a que irá dar prioridade no novo mandato da Assembleia Legislativa de Macau.

Numas eleições marcadas pela exclusão de deputados pró-democratas, o deputado desvalorizou a possibilidade de o parlamento local não representar algumas sensibilidades da sociedade: "Penso que com o tempo a sociedade vai exigir mais responsabilidades dos deputados que hoje tomaram posse e que muitas lacunas vão ser supridas" por estes.

"Pelo menos, da nossa parte, não vamos mudar de rumo e diretrizes", acrescentou.

A lista encabeçada pelo deputado português José Pereira Coutinho, que está na AL há 16 anos, foi a terceira mais votada nas eleições por sufrágio direto para o parlamento de Macau, que decorreram em 12 de setembro.

A AL integra 14 deputados eleitos por sufrágio direto, 12 por sufrágio indireto e sete nomeados pelo chefe do executivo, Ho Iat Seng.

O escrutínio para o parlamento local ficou marcado por uma abstenção recorde e uma taxa de afluência de 42,38%, bem como pela exclusão de cinco listas e 21 candidatos, 15 dos quais associados ao campo pró-democracia, por não serem "fiéis à RAEM" e "não defenderem a Lei Básica da RAEM", por deliberação da Comissão de Assuntos Eleitorais da AL.

A decisão da comissão eleitoral foi validada posteriormente pelo Tribunal de Última Instância do território.

Em 01 de outubro, na cerimónia do 72.º aniversário da implantação da República Popular da China, Ho Iat Sent considerou que as últimas eleições para a AL consolidaram o princípio "Macau governado por patriotas".

Após mais de 400 anos sob administração portuguesa, Macau passou a ser uma região administrativa especial da China em 20 de dezembro de 1999, com um elevado grau de autonomia acordado durante um período de 50 anos.