É correto dizer que André Almeida e Pizzi, lateral direito e médio que são titulares indiscutíveis do Benfica, foram os capitães de Bruno Lage. Mas só o foram porque Jardel, central brasileiro, esteve lesionado durante muito tempo, perdeu o lugar para Ferro e só ocupou esse papel de liderança no balneário. Balneário onde não coloca a braçadeira, onde não aparece em frente às câmaras a dar a cara pela equipa e onde não grita palavras de ordem para dentro do resultado. O que não significa, como ficou comprovado este sábado, que Jardel não fosse um líder e uma das figuras mais próximas de Bruno Lage.

Gabriel, um Pensador que compõe, dá o tom e ainda toca a música (a crónica do Benfica-Boavista)

“Quero deixar uma palavra ao mister Bruno Lage. Foi um cara que, desde que chegou aqui ao nosso plantel, sempre fez a diferença. Um ser humano fantástico, um profissional e um treinador muito competente. Quero deixar aqui um forte abraço a ele e que ele tenha muito sucesso daqui para a frente na sua carreira”, disse o central brasileiro na flash interview, depois de ter sido titular na vitória do Benfica na Luz contra o Boavista.

O Benfica voltou às vitórias em casa seis jogos e cinco meses depois, naquele que foi o maior período de sempre sem conseguir ganhar na Luz, e conseguiu vencer por mais de dois golos de diferença 16 partidas depois. Esta foi, aliás, a primeira vez que os encarnados ganharam em casa por mais de dois golos de diferença desde o início do ano civil de 2020 — num encontro onde, apesar de tudo, sofreu golos pelo quinto jogo consecutivo. Na conferência de imprensa, e depois de se ter estreado como treinador principal do Benfica com uma vitória, Nélson Veríssimo confirmou que vai orientar o treino da tarde deste domingo sem revelar se vai estar à frente da equipa contra o Famalicão, na quinta-feira, anda que seja essa a opção mais lógica.

“Quando me colocaram esta questão de orientar a equipa com o Boavista, o meu foco esteve sempre aí. Agora, pediram-me para preparar o treino de amanhã [domingo] e é nisso que estou a pensar. Eu não sei de nada que não possa dizer. A realidade é essa. Depois logo se verá”, explicou o treinador, que fez depois uma análise à receção ao Boavista. “Globalmente fizemos um bom jogo. Nos primeiros 10 minutos as equipas tiveram muitas perdas de bola, mas depois o golo já perto do quarto de hora deu-nos tranquilidade que precisávamos. Os jogadores estão de parabéns pelo controlo de jogo que tiveram ao longo dos 90 minutos. Quero realçar o empenho dos jogadores”, acrescentou Veríssimo.

“Era uma vitória que a equipa andava à procura há bastante tempo, já tínhamos tentado nos dois últimos jogos e aconteceu hoje e esperamos que seja para continuar obviamente, a história do Benfica assim o exige”, terminou o técnico, sobre um jogo em que Pizzi ultrapassou Gaitán e se tornou o jogador encarnado a realizar mais assistências para golo numa única temporada desde 1999/00, com 58.