Portugal

Wenger defende Mundiais e Europeus a cada dois anos

O francês Arsène Wenger, diretor de desenvolvimento mundial da FIFA, defendeu a realização de Mundiais e Europeus a cada dois anos, reorganizando os calendários internacionais de futebol.

Em entrevista ao jornal francês Le Parisien, o antigo treinador de Mónaco e Arsenal, entre outros, salientou a importância de ser reequacionada a cadência das competições, quando questionado sobre os riscos que enfrenta a modalidade.

"O doping e a corrupção. Mas também o número de jogos disputados por ano e os riscos sanitários ligados a isso, que requer uma reflexão para reorganizar o calendário. É razoável, quando devemos ser responsáveis, nomeadamente responsáveis ambientalmente, multiplicar as viagens nas datas dos jogos internacionais [em setembro, outubro, novembro e março], questionou o francês.

Wenger admitiu a necessidade de "se organizar tudo isto, de se reagruparem as datas internacionais".

"Uma das soluções seria organizar o Mundial e o Euro, e todas as competições continentais, a cada dois anos e parar tudo o resto. Contrariamente ao que dizem, isso não ia prejudicar o prestígio das competições. A Liga dos Campeões é disputada todos os anos e é muito prestigiada. As pessoas querem ver jogos que contam, e as competições que importam", explicou.

Em causa estaria uma reformulação do método de qualificação para as fases finais, mas também a abolição de jogos particulares ou de outras competições.

O alsaciano, de 71 anos, está a participar num documentário sobre o percurso glorioso do Arsenal na conquista do título inglês em 2003/04, sem derrotas, realizado por Christian Jeanpierre, de quem prefaciou o livro "2026", aproveitando para apontar esse ano como um ano de viragem no futebol mundial.

"Em 1982, o Mundial passou de 16 para 24 países, era muito. Em 1998, de 24 para 32, era enorme. Em 2026, terá 48, é uma loucura. Sim, parece uma loucura, mas, em percentagem, são menos de 25% dos filiados na FIFA. A UEFA tem 55 países membros e organiza o Euro com 24, são 45%. As seleções são a única e verdadeira motivação para um país empreender mudanças na estrutura do futebol, elevar o seu nível de jogo, desenvolver a modalidade", detalhou.

Nesse sentido, o antigo treinador apontou um possível formato da competição, com 16 grupos de três seleções, avançado, rapidamente, para a fase a eliminar.

Entre outras preocupações para a modalidade, Wenger realçou a "vigilância" da FIFA sobre os cabeceamentos, e os microtraumatismos que esta ação pode provocar, considerando banir o jogo de cabeça nos escalões de formação.

Ainda antevendo 2026, o francês disse esperar ver, nessa altura, Kylian Mbappé "no topo do mundo", reiterando encontrar semelhanças entre o jovem francês e o brasileiro Pelé: "É um bom exemplo a seguir, o Pelé disputou quatro Mundiais e ganhou três e o Kylian, de 22 anos, jogou um e ganhou um".

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Football news:

At the World Cup in Qatar in 2022, it is planned to vaccinate all participants of the tournament against coronavirus, said the Minister of Foreign Affairs of Qatar, Mohammed bin Abderrahman al-Thani
Giorgio Chiellini: If Ronaldo is a problem, then I would like to have more of those problems
Kane injured his ankle in the match against Everton
Kane became the record holder for the most goals in the Premier League for players without a title, beating Fowler
Ancelotti's 2-2 win over Tottenham: One of Everton's best home games. The fate of entering the European Cup will be decided in the last game
Mourinho on Pogba's words about him: I don't care what he says. Not Interesting
Mourinho on Everton penalty: No comment. Having experience, I just laugh at such moments