Paraguay

Brasil cai quatro posições em ranking de liberdade de imprensa e fica em zona vermelha

Repórteres Sem Fronteira afirma que desde que o presidente Jair Bolsonaro assumiu o poder o ambiente para o trabalho de jornalistas se tornou tóxico. Em dois anos, o país perdeu seis posições no ranking e está em 111º lugar.

Por G1

O Brasil caiu quatro posições e ficou em 111º lugar no ranking mundial da Liberdade de Imprensa da organização Repórteres Sem Fronteiras, divulgado nesta terça-feira (20).

O país entrou em uma zona vermelha do ranking, ou seja, para a organização, a situação da imprensa no país é difícil.

A entidade separa a situação de cada em cinco cores relativas ao nível de liberdade de imprensa, que são branca (muito boa), amarela (boa), laranja (problemática), vermelha (difícil) e preta (muito grave).

Relatório da ABERT conclui que ataques à liberdade de imprensa mais que dobraram no país em 2020

Relatório da ABERT conclui que ataques à liberdade de imprensa mais que dobraram no país em 2020

O texto de apresentação do ranking descreve o ambiente para o trabalho dos jornalistas como tóxico desde que o presidente Jair Bolsonaro assumiu o poder, em 2019 (naquele ano, o país já havia caído duas posições no ranking).

“Insultos, estigmatização e orquestração de humilhações públicas de jornalistas se tornaram a marca registrada do presidente, sua família e sua entourage”, afirma o texto.

Para a organização, os ataques ficaram mais intensos com a pandemia de coronavírus –o presidente dissemina informações falsas e acusa a imprensa de ser a responsável pelo “caos no país”.

A Rede Globo entrou em contato com o Palácio do Planalto para ouvir uma manifestação do gabinete da presidência, mas até o momento não houve resposta.

O relatório cita o consórcio da imprensa formado para dar transparência a dados de Covid-19, do qual o G1 faz parte: “Diante das mentiras compulsivas do presidente e da falta de transparência do governo quanto à gestão sanitária, uma aliança inédita reunindo os principais meios de comunicação do país foi criada em junho de 2020, com o objetivo de obter informações diretamente de autoridades locais nos 26 estados do país e no Distrito Federal, para elaborar e comunicar seus próprios boletins”.

A Noruega é o país onde há mais liberdade de imprensa pelo quinto ano consecutivo. Em segundo, ficou a Finlândia.

Os Estados Unidos ficaram em 44º —no último ano do mandato de Donald Trump, houve um número recorde de agressões (cerca de 400) e prisões de jornalistas (130), de acordo com o US Press Freedom Tracker.

Veja os principais colocados no ranking:

Primeiros lugares do Ranking de Liberdade de Imprensa

PosiçãoPaís
1Noruega
2Finlândia
3Suécia
4Dinamarca
5Costa Rica

Fonte: Repórteres Sem Fronteiras

Veja qual a colocação do Brasil e quais são os países próximo

Posição do Brasil no Ranking de Liberdade de Imprensa

PosiçãoPaís
109Guiné
110Bolívia
111Brasil
112Bulgária
113Indonésia

Fonte: Repórteres Sem Fronteira

Football news:

Guardiola on Man City before the Champions League final: I didn't talk about Chelsea for a second. We're thinking of Brighton
Cristiano Ronaldo: Someone can have one or two great seasons. The really strong ones are the ones who are good year after year
Real Madrid is the most expensive football brand in the world. Barcelona-second, Manchester United-third (Brand Finance)
Draxler has extended his contract with PSG until 2024
Tottenham value Kane at 150 million pounds and do not want to let him go to the Premier League club
Real Madrid are unlikely to extend their contract with Ramos if Varane stays at the club
The Government of the Russian Federation has allocated more than 1 billion rubles for the preparation and holding of International competitions