Sao Tome
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Roças e o parque natural na lista indicativa de património cultural e natural de STP na UNESCO 

O parque natural-obô e as roças vão compor a primeira lista indicativa do património cultural e natural do país junto a UNESCO.

Após 4 dias de trabalho intenso, os peritos da UNESCO e os quadros são-tomenses ligados aos bens patrimoniais, classificaram as roças como património cultural pela confluência dos valores históricos, económicos e arquitectónicos, que identificam as roças.

Roça Monte Café

O parque natural Obô de São Tomé e a Reserva da Biosfera do Príncipe, foram definidos como património natural a ser submetido a UNESCO, por conservarem e darem vida a uma rica e singular biodiversidade mundial.

Roça Sundy na ilha do Príncipe onde foi comprovada a teoria da relactividade, e a Roça Água Izé na ilha de São Tomé foram as primeiras que receberam a cultura do cacau no século XIX. As duas foram seleccionadas, assim como a Roça Monte Café em São Tomé, que foi o epicentro da cultura do café (Introduzida no século XVIII).

Vista aérea de parte da Roça Água Izé(Ex-hospital da Roça e arredores)

Três roças com história, que durante décadas receberam mão de obra escrava, e mais tarde serviçal oriunda de vários pontos de África, para viver nas sanzalas, para trabalhar nas plantações de cacau e café, e produzir riqueza, para os patrões oriundos da Europa.

Terreiro da Roça Sundy
Sanzala na Roça Sundy
Casa de Patrão da Roça Sundy

Três roças, erguidas por uma arquitectura colonial singular, onde o terreiro assistiu bailarinas e bailarinos a dançar “Puita”, “Tafua”, e outras manifestações culturais que passaram a ser são-tomenses, no entanto conservando sempre o forte vínculo originário do interior do continente africano.

Cultura diversificada gerada nas roças, foi seleccionada para integrar a primeira lista indicativa de Património cultural de São Tomé e Príncipe na UNESCO.

O parque natural Obô de São Tomé e a Reserva da Biosfera da ilha do Príncipe, conservam biodiversidade única do arquipélago e do mundo.  Albino Jopela, perito da UNESCO, e  responsável pelo Fundo para o Património Mundial Africano, explicou que o parque natural foi seleccionado como Património Natural a ser submetido a UNESCO.

Ilha do Príncipe – Reserva da Biosfera

A Equipa da UNESCO e os 25 técnicos nacionais ligados ao património natural e cultural, prometeram continuar a trabalhar, no sentido da notificação de outros bens patrimoniais do país, nomeadamente o centro histórico da cidade de São Tomé, que é um dos mais antigos do espaço lusófono em África, e também a Praça da cidade de Santo António na ilha do Príncipe.

Segundo Albino Jopela, outras roças de São Tomé e Príncipe nomeadamente a Roça Agostinho Neto, antiga Rio do Ouro, deverão ser submetidas no futuro a lista indicativa de património da UNESCO. Isso depende do trabalho contínuo de investigação que deverá ser feito pelos técnicos nacionais.

Guilherme Carvalho, Director da Cultura, recordou que São Tomé e Príncipe faz parte de um número restrito de países africanos que não está inscrito na lista indicativa de patrimónios culturais e naturais da UNESCO.

A submissão dos sítios agora identificados à UNESCO, vão segundo o director da cultura, abrir linhas de financiamento para a restauração dos patrimónios em fase de degradação.

Para já e pela primeira vez São Tomé e Príncipe vai submeter a UNESCO três roças e o parque natural obô como patrimónios natural e cultural da humanidade.

Abel Veiga