Paraguay

R$ 76,8 milhões: Verba para combater coronavírus é usada para pagar salários em MS

O Governo de Mato Grosso do Sul usou R$ 76,8 milhões destinados para a Covid-19, para pagamento de salários dos servidores da saúde, 13º salário, licença maternidade, adicional noturno, entre outros vencimentos.

Os valores estão disponíveis no site da Transparência em valor empenhado por fornecedor – Despesas Covid-19. O valor total dos vencimentos é de R$ 76.814.989,91.

Deste total, R$ 23.637.966,59 foram de pagamento de salário. Também foram pagos R$ 19.297.873,01 em gratificações por exercícios de funções. 

Foram empenhados R$ 2.519.610,68 de vantagens pessoais e readaptação. O governo usou R$ 1.387.874,50 para pagamento de serviços extraordinários em contratação temporária.

Além disso, R$ 6.991.328,65 foram empenhados para pagamento de plantões. Dos contratos temporários de funcionários, o valor somado é de R$ 5.144.471,62. 

De salário maternidade, o valor desembolsado foi de R$ 709.621,37; R$ 60.167,05 de 13º salário; R$ 458.753,69 de 13º salário para contrato temporário; R$ 1.840.362,17 de abono provisório – pessoa civil; R$ 2.018.851,98 de adicional de insalubridade; R$ 1.342.068,73 de adicional noturno; R$ 1.563.029,49 para pagamento de férias; R$ 1.717.697,87 de gratificações; R$ 3.203.823,68 para gratificação por tempo de serviço.

Repasse do Governo Federal

Mato Grosso do Sul recebeu de verba do Governo Federal para combate ao coronavírus, R$ 20 milhões em 2021 e R$ 86 milhões no ano passado; R$ 477 milhões foram destinados aos municípios.

A reportagem do Jornal Midiamax encaminhou e-mail ao governo do Estado com questionamento se o recurso usado é de verba federal, mas não obteve resposta até o fechamento deste texto. O espaço segue aberto para posicionamento.

Apontamento de dezembro de 2020 já indicava que o Governo Federal havia repassado, até então, R$ 79,19 bilhões de auxílio para Estados e o município. Mato Grosso do Sul recebeu R$ 836.076.325 para enfrentar a pandemia. Em cenário nacional, o Estado é o 8º com maior valor de repasses per capita.

De acordo com o levantamento do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas), realizado em 2020, a população do Estado é de 2.809.394 pessoas. Assim, foram repassados R$ 297,60 por pessoa para combate ao coronavírus.

Então, segundo levantamento do Metrópoles, MS é o 8º com mais repasses per capita. Além disto, o Estado sul-mato-grossense superou a média de repasses por pessoa nacional, que é de R$ 209,48.

Sem licitação

Desde março de 2020, quando foi declarada a situação de calamidade em decorrência da pandemia do novo coronavírus, os gastos do Governo de Mato Grosso do Sul sem licitação, que em tese deveriam ser focados exclusivamente no enfrentamento à doença, totalizaram R$ 248 milhões

Na lista, além da contratação de leitos, respiradores e insumos constam desde despesas com aluguel de contêiner para armazenagem de corpos, compra de sinal de televisão para transmissão de videoaulas aos alunos da rede pública até a aquisição de software. A dispensa de licitação é resultado da lei federal n.º 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, que derrubou temporariamente o rito nas contratações para aquisição de bens, serviços e insumos destinados ao enfrentamento da doença. No entanto, alguns desses gastos em MS já começaram a ser questionados, como os R$ 5,8 milhões na compra de 60 mil cestas básicas. Ao custo de R$ 97 cada, elas continham preços de itens até 33% mais caros do que foi oferecido pela fornecedora a outro “cliente” e quase 50% acima do encontrado no varejo de Campo Grande.

Temporária, a dispensa esteve vigente até 31 de dezembro de 2020. Entre as exigências previstas na lei foi inserida a obrigatoriedade de que todas as contratações ou aquisições nela baseadas fossem disponibilizadas em portal da transparência, incluindo o nome do contratado, o número de sua

inscrição na Receita Federal do Brasil, o prazo contratual, o valor e o respectivo processo de contratação ou aquisição. Em MS, o arquivo com extratos de contratos soma 304 páginas e continua sendo atualizado diariamente.  MIDIAMAX

Football news:

Smertin recalls Euro 2004: he almost fought in the joints, defended against the young Cristiano and understood the excitement of the Bridge
Gareth Southgate: We shouldn't be football snobs. In matches with top teams, diversity is important
Leonid Slutsky: I am still sure that the Finnish national team is the outsider of our group. They were very lucky against Denmark
I'm not a racist! Arnautovic apologized for insulting the players of the national team of North Macedonia
Gary Lineker: Mbappe is a world-class star, he will replace Ronaldo, but not Messi. Leo does things that others are not capable of
The Spanish fan has been going to the matches of the national team since 1979. He came to the Euro with the famous drum (he could have lost it during the lockdown)
Ronaldo removed the sponsored Coca-Cola at a press conference. Cristiano is strongly against sugar - does not even advertise it